Home Colunas Africa Alarcón – Golfe nas Escolas dos Estados Unidos

Africa Alarcón – Golfe nas Escolas dos Estados Unidos

by redação

*Por Africa Alarcón

Africa Madueño Alarcón É fundadora da Golfefit, pioneira em preparação física para golfistas no Brasil, e diretora de recrutamento da IJGA (Internacional Junior Golf Academy)

Estudar nos Estados Unidos é uma oportunidade que proporciona um ambiente competitivo sem igual. As ligas universitárias proporcionam muitas oportunidades para todos os níveis e morar nos Estados Unidos, no campus da Universidade, envolve ter responsabilidade e disciplina para conciliar estudos e o golfe. Os atletas são tidos como representantes da escola, sua performance e comportamento devem ser exemplares o tempo todo, dentro e fora do campus. Cada escola possui um Full Time Coach e Assistant Coach e uma grade de treinamentos físicos e técnicos e uma série de torneios anuais que variam entre 10 e 15 eventos. Cada equipe possui na média de 10 jogadores e um valor predeterminado para bolsas a ser dividido entre eles. Existem bolsas atléticas e bolsas acadêmicas, poucos são os jogadores que recebem uma bolsa de estudos completa. A maioria das escolas oferece uma porcentagem, mas o aluno pode ter parte bolsa acadêmica e parte bolsa atlética se for bom aluno.

As ligas universitárias: National Collegiate Athletic Association (NCAA) – 1200 faculdades e 23 esportes. Possui altas exigências na área acadêmica dos seus alunos. National Association ofIntercollegiateAthletics (NAIA) – 300 escolas e 13 esportes. National Junior College Athletic Association (NJCAA)– possui só Junior e Comunity Colleges, que são faculdades de dois anos e cursos profissionalizantes. Uma opção é entrar numa Junior College e depois transferir para uma faculdade de 4 anos para finalizar seus estudos. É dividida em 3 divisões e também oferece bolsas atléticas aos estudantes.

O que é preciso para jogar numa faculdade americana? – O processo de admissão é completamente diferente do que no Brasil. Saber se seu nível como jogador é suficiente é importante, por exemplo, o average scores das equipes da NCAA para homens está entre 65 e 80 e para mulheres 66 a 92. Lembrando que nem sempre uma faculdade divisão 1 possui melhor nível do que uma divisão 2.A diferença entre as divisões está relacionada ao tamanho e formato da escola e não ao nível esportivo.Existem oportunidades para todos os níveis de jogador, não só para os jogadores elite de cada país.

Bons resultados não são garantia –Nem sempre jogadores com bons resultados em competições atraem organicamente a atenção dos coaches que recrutam. Competir fora do Brasil é essencial para comparar seu nível com jovens de outros lugares. Saber escolher os torneios que mais dão exposição e pontuação no WAGR é importante para construir um currículo forte.

Por onde começar:

  1.  Treino e competição: A partir dos 12 anos é necessário levar o treinamento e a competição a sério. Tenha uma rotina com objetivos a curto, médio e longo prazo, não descuide da parte física e planeje seu calendário com inteligência.
  2.  Foco nos estudos: Sua média e seu currículo acadêmico é tão importante, ou em alguns casos mais importante, como seu nível golfístico.
  3. Comece cedo o processo: A maioria das boas escolas está recrutando seus jogadores faltando ainda dois anos para a graduação, ao redor dos 15 anos. Por esta razão, é preciso começar o processo pelo menos aos 13 anos para chegar ao penúltimo ano de Ensino Médio com um bom nível competitivo e acadêmico. Comece na sua cidade, e estado, para depois jogar a nível nacional e internacional. Não pule etapas, pois competir cedo demais num ambiente de alto nível pode ter um efeito negativo na sua autoconfiança.
  4. Contrate uma empresa especializada: É altamente recomendado que contrate uma empresa que ajude no College Planning Process. Para estudantes internacionais este processo pode ser extremamente complicado e estressante. Uma empresa vai fazer um levantamento do seu histórico, suas preferências, personalidade, objetivos de carreira e vão analisar quais são as faculdades que mais se encaixam no seu perfil. Lembrando que nos Estados Unidos existem mais de 3.000 escolas em todo o país e estas empresas possuem contatos diretos com os coaches.
  5. Participe de torneios, clínicas e camps que ofereçam visibilidade: Ligas como Hurricane, AJGA, IJGT, FCWT são boas opções para jogar durante as férias dos seus três últimos anos de Ensino Médio. Existem torneios de acesso como Open Tournaments e Qualifiers que oferecem a chance de jogar nas ligas mais exclusivas. Passar as férias treinando numa academia junior também é uma boa maneira de impulsionar seu jogo e trabalhar na estratégia, técnica e parte física. Nas academias além de treinar intensamente durante algumas semanas, aos finais de semana é possível jogar em eventos de alta visibilidade com acompanhamento dos técnicos e testar sua performance ao lado de jovens do mundo todo.

Alguns links que podem ajudar:

Pesquisa de universidades: www.niche.com

– Ligas Universitárias: www.ncaa.com – www.naia.org – www.njcaa.org

– Rankings: – www.juniorgolfscoreboard.com – www.wagr.com

– Ligas Juvenis nos Estados Unidos: www.igjt.com – www.ajga.com – www.fcwtjuniorgolftour.com

Divulgação

0 comment

You may also like

Leave a Comment